IMG_20210322_141244_out_edited.jpg

Material
Circulante

O Material Circulante tem um longo ciclo de vida e está em constante evolução tecnológica.

A necessidade de aumentar a eficiência e reduzir o Custo do Ciclo de Vida (LCC) do Material Circulante, motiva uma atenção contínua, com novas tecnologias, ao nível da Integração, Manutenção e Operação.

Para a Integração – aquisição, modernização e fabrico – e com base na experiência precedente, pretendem-se desenvolver soluções de incorporação da cadeia de fornecimento nacional na construção de novos equipamentos, quer no exterior como no interior, mas também na recuperação e conversão de equipamentos existentes. As intervenções na conversão energética (tracção e sistemas auxiliares) e a monitorização remota do estado dos equipamentos surgem também como principais áreas de inovação e desenvolvimento para a industria nacional.

Na Manutenção, a principal prioridade passa por otimizar o ciclo de intervenções correctivas e preditivas, bem como a sua extensão e profundidade, de forma a garantir uma maior disponibilidade e fiabilidade do Material Circulante. 

Na Operação, as soluções de segurança ativa e passiva e as conquistas de eficiência energética têm um papel significativo para a melhoria do sistema.

A abordagem ao Material Circulante tem uma enorme componente de cooperação e integração, abrangendo uma grande diversidade de agentes: gestores da operação, operadores de manutenção e reparação, fabricantes, integradores de sistemas, empresas de tecnologia da informação, institutos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico e de tecnologia ferroviária.

Dado o enorme impacto do “efeito de escala” na concretização de projetos nestas áreas, propomos desenvolver e implementar um “programa nacional de eficiência do Material Circulante”, que abrangerá a grande maioria do Material Circulante dos operadores nacionais, para maximizar as metas e potencializar a exportação de tecnologia e conhecimento nacional.

 

A componente I&D deverá também ser integrada com programas de inovação europeus, como o SHIFT2RAIL.II, permitindo a identificação de mecanismos adicionais de apoio ao financiamento das actividades. A participação de instituições do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia e da cadeia de fornecimentos nacional em projectos e redes de cooperação em I&D permitirá também o acesso a projetos internacionais semelhantes.

Principais ações de Desenvolvimento:

  1. Promoção da modernização do Material Circulante;

  2. Elaboração de um Plano de Eficiência Energética para as diferentes frotas;

  3. Promoção de maior segurança operacional;

Plano de Implementação:

  1. Identificação do Material Circulante alvo;

  2. Concepção e desenvolvimento de soluções;

  3. Implementação de projetos-piloto por série de Material Circulante alvo;

  4. Incentivo e participação em projetos para atingir frotas de material circulante;

  5. Verificação e validação das soluções desenvolvidas;

  6. Homologação e certificação das soluções encontradas;

  7. Resistência e Resiliência de soluções;

  8. Implementação e promoção das soluções no mercado local e internacional.